Arnold Heuberger

Sarnen, Suíça. 1950

Tendo o privilégio de ter nascido em uma família extremamente musical, seu talento foi incentivado e, com apenas 8 anos de idade, apresentou-se como solista na Missa da Meia Noite, acompanhado pelo coral da igreja e orquestra.

 

Daí em diante, não parou mais. O casamento com uma brasileira fez com que Arnold Heuberger fixasse residência no Brasil em 1997, trazendo na bagagem a história de toda uma vida dedicada ao canto e à música.

 

Utilizando a vivência de 25 anos no Jodlerklub ‘’Obwaldner Trachtenchörli’’, em Sarnen, criou o único Clube de Jodler do Brasil, localizado em Indaiatuba (SP), na colônia Helvetia, fundada em 1888 pelos imigrantes suíços que vieram trabalhar nas fazendas de café da região de Jundiaí e Campinas.

 

O Jodlerklub Helvetia, constituído em agosto de 2001, preserva a beleza e tradição das músicas folclóricas suíças, interpretadas no dialeto do cantão de Obwalden, por um coral de 36 cantores e cantoras.

 

Para acompanhar o coral, em 2004, criou a banda Schnapsmuisig. E, em 2012, com o auxílio da organista e pianista Maria Alvina Krähenbühl (ex-presidente e membro do Jodlerklub) e dos amigos da Suíça – que doaram os instrumentos – fundou a Escola de Música, que ensina gratuitamente mais de 50 alunos de acordeão, clarinete, violão, trompete, violoncelo e flautas diversas.

 

O regente Noldi - como é conhecido na comunidade - escreveu algumas canções especialmente para o Jodlerklub Helvetia e orgulha-se de que ele hoje faça parte do seleto clube dos integrantes da Eidgenössischer Jodlerverband (Associação de Jodler da Suíça), já tendo participado de diversos concursos e exibições.

 

Todas as iniciativas culturais que promove têm o objetivo de aproximar as novas gerações de descendentes de sua origem e, ao mesmo tempo, mostrar à Pátria ancestral que, mesmo estando tão longe dela, o folclore e a tradição suíça continuam sendo preservados e cultuados com grande orgulho.

Foto: Arnold Heubergger

Crédito: Acervo pessoal

Foto: Jodlerklub Helvetia

Crédito: Acervo pessoal

Voltar