Carlos Hieronymus Euler

Bâle, Suíça. 1832–1901

Cientista e ornitólogo, Carlos Hieronymus Euler chegou ao Brasil no ano de 1853 para tratar de negócios sobre uma herança deixada para uma senhora casada com um negociante do Havre. O pai dela, um fazendeiro que morava no Rio de Janeiro, deixou-lhe a herança ao morrer.

 

Ao chegar, Euler decidiu se casar com a herdeira, tornando-se fazendeiro de café. É provavelmente dessa época o início de sua coleção de pássaros, que chegou a incluir 386 espécies.

 

Carlos Euler nasceu em 1832, em Bâle. Entre 1867 e 1868, foi vice-cônsul da Suíça em Cantagalo e começou a contribuir para o Journal für Ornithologie, para o qual enviava artigos que depois foram traduzidos para o português e publicados sob o título de “Contribuição para a História Natural dos Pássaros do Brasil”.

 

A importância de Euler para a ornitologia foi tão significativa que seu nome foi utilizado na identificação de três pássaros brasileiros: Empidonax uleri euleri, Empidonus euleri lawrencei e Coccyzus euleri.

 

Entre 1870 e 1874, o cientista esteve na Suíça e após regressar ao Brasil dedicou-se à engenharia de ferrovias, tendo participado da construção da estrada de ferro Vitória-Minas.

 

Seu trabalho mais famoso foi a Descrição de ninhos e ovos das aves do Brasil (1900), elaborado em conjunto com o naturalista alemão Hermann von Ihering, no volume VI da “Revista do Museu Paulista”.

 

Morreu em 1901, no Brasil, deixando viúva e dois filhos.

Voltar