Filantropia

...

As instituições filantrópicas mais antigas e ainda em atividade da comunidade suíça foram criadas para socorrer imigrantes necessitados: Associação Filantrópica do Rio de Janeiro (1821), Sociedade Suíça de Beneficência da Bahia (1843), Associação Suíça de Beneficência Helvetia (1880) de São Paulo. Hoje a ênfase da filantropia está na assistência, na sustentabilidade e na educação.

 

Em São Paulo, a Associação Suíça de Beneficência Helvetia administra o Retiro Suíço, moradia para idosos em Campo Limpo Paulista. A Associação Filantrópica Criança Feliz, em Caucaia do Alto (SP), atende crianças e adolescentes em projetos educativos. Na Zona Sul de São Paulo, a Arco acolhe jovens e crianças excluídos.

 

A Associação Suíço-Brasileira de Ajuda à Criança (Brascri) mantém cursos em escolas estaduais de São Paulo, um programa de apoio à gravidez precoce e cursos profissionalizantes.

 

O Lar Feliz, criado em 1958 em São Paulo, conta com nova unidade em Curitiba (2009). Atende crianças e adolescentes em situação de risco.

 

Podemos citar também: a Fundação Crescer Criança (AAC), de Boituva (SP); a Igreja Evangélica Suíça de São Paulo (1958); a Sociedade Beneficente Helvetia de Curitiba (1915); o Instituto Pró-Memória Suíça, que pesquisa a história dos imigrantes suíços na fundação de Joinville; Clube Esportivo Helvetia (SP); e a Armbrustschützen, Sociedade de Tiro ao Alvo de São Paulo.

Voltar