Jeanne Marie Gagnebin

Lausanne, Suíça. 1949

Professora titular de Filosofia na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e livre-docente de Teoria Literária na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Jeanne Marie Gagnebin tem cinco títulos de pós-doutorado. Autora de “Walter Benjamin: Os cacos da história” e “Lembrar Escrever E squecer”, dentre outros livros.

 

Partiu de casa aos 18 anos para estudar em Tübingen, na Alemanha, participando de uma experiência educativa libertária, onde os estudantes praticavam a autogestão. “Isto foi em 1968, a gente fazia passeata, ia ver o túmulo do Hölderlin, era realmente muito bonito.”

Voltou para estudar Letras em Genebra e em três anos iniciou o doutorado em Heidelberg, na Alemanha. “Tudo aconteceu muito rápido. Um grande poeta suíço, Philippe Jaccottet, ganhou o prêmio Montaigne, para tradutores, ao qual estava acoplada uma bolsa para um estudante de alemão.” Foi escolhida.

 

“Na Alemanha, conheci Marcos L. Müller, um senhor que parecia alemão, mas era gaúcho. Por isso estou no Brasil, ele se tornou meu marido.”

 

Em janeiro de 1978, chegou a Campinas (SP), onde seu marido foi contratado pela Unicamp. Em 1979, foi convidada por Bento Prado a lecionar na PUC-SP.

 

“Ganhei uma nova consciência social ao sair da Suíça... Hoje, minha casa é o Brasil, mesmo me sentindo tão estrangeira no Brasil quanto na Suíça. Na verdade, eu

Capa da publicação “Lembrar Escrever Esquecer” , por Jeanne Marie Gagnebin. Editora 34, 2006

Imagem da capa a partir de desenho de Henri Michaux, “Sem título”, nanquim sobre papel, 65 cm x 140 cm (detalhe), 1960. Capa, projeto gráfico e editoração eletrônica por Bracher & Malta Produção Gráfica

me sinto estrangeira em todos os lugares.

 

Há coisas às quais nunca nos acostumamos e nem queremos.”

Voltar