Rahel Steingruber

Apenzell, Suíça. 1918–2006

O “Anjo do Mato Grosso”, como ficou conhecida a enfermeira suíça Rahel Steingruber, se fixou voluntariamente no norte do Mato Grosso para prestar assistência às populações carentes.

 

Após estudar enfermagem, Rahel Steingruber trabalhou na Suíça, no Hospital Universitário de Lausanne.

 

Em 1951 veio para o Brasil visitar um irmão que morava na região do Pantanal. Impressionada com o baixo nível sanitário e com a miséria da população, ficou para ajudar os portadores de enfermidade, de deficiência e os desassistidos.

 

Diante da complexidade das tarefas e da falta de meios, percebeu que precisava melhorar seus conhecimentos.

 

Voltou à Suíça e especializou-se em obstetrícia. Nas horas vagas, estudava o tratamento de olhos e pele e aprendeu a prestar assistência dentária.

 

Em 1954 reiniciou seu trabalho no Brasil, atendendo sertanejos e índios que não tinham a quem recorrer. Contava só com os recursos que recebia das pessoas, mas, com tantas deficiências, era necessário um amparo particular. A missionária deixou então a família e excelente situação profissional na Suíça para vir socorrer os brasileiros.

 

Às vezes, atendia enfermos a quilômetros de distância, até que sofreu uma distorção no pé, que se agravou e foi necessária sua remoção para São Paulo. Foi operada no Hospital Samaritano.

 

Em 1960 foi à Suíça e pôs-se a trabalhar de dia e de noite. Com o dinheiro que ganhou e o auxílio de amigos, comprou um jipe usado para usar nas “estradas” do norte do Mato Grosso.

 

Na capital mato-grossense criou a Fundação Casa Suíça, que até hoje atende a centenas de pessoas.

 

Rahel Steingruber morreu aos 88 anos, em Várzea Grande.

Voltar